Pousada Barriga da Lua e trilha no Vale do Travessão

 · 20 minutos para ler

Atualizado em

Escrito por:

Venho de aproximadamente três anos sem férias. No início de 2015, ainda na graduação, comecei a trabalhar em um projeto de iniciação científica que terminou em 2016, depois entrei em outro projeto de pesquisa que foi até meados 2017, saí desse projeto e ainda na graduação comecei como CLT na Studio Sol. Aqui as férias são, em sua maioria, dadas em dezembro, portanto pegarei férias em dezembro agora, com um ano e nove meses de casa.

Não pretendia fazer nenhuma viagem nas férias, por estar mexendo com coisas de casamento que demandam muita grana, mas diante do cansaço resolvi fazer um passeio de um final de semana na Serra do Cipó, ficando em uma pousada. Ano passado fiz a mesma coisa. É algo que renova a mente e as energias, portanto vale a pena nesse contexto.

Ano passado fomos à Pousada Fazenda do Engenho, que fica pertinho do parque Nacional da Serra do Cipó. Foi bem legal. Esse ano fizemos uma planilha, minha namorada e eu, com vários locais nas redondezas de BH que pudessem ser interessantes. A Pousada Barriga da Lua ganhou. Aparentemente ela fica mais isolada da região central de Santana do Riacho e além disso está perto de alguns pontos interessantes da Serra do Cipó, como a Pedra do Elefante, o Cânion do Travessão e Cachoeira do Congonhas.

24/11/2018

https://mmistakes.github.io/minimal-mistakes/post%20formats/post-gallery/

Pousada Barriga da Lua

Dicas:

  • A pousada fica a 15 km da área comercial de Santana do Riacho, logo se você não tiver veículo próprio, como eu, pode ser inviável;
  • Pousadas e hotéis cobram por água, portanto, sempre leve sua água;
  • Ao entardecer você pode ficar sem nada para fazer, leve jogos ;);
  • A pousada fica no da Serra do Cipó, então traga repelente de insetos.

Saímos; minha namorada, minha sogra, a tia da minha namorada e eu; de BH por volta das 10:30, chegamos em Santana do Riacho mais ou menos às 12h, paramos em um restaurante para almoçar e fomos para a pousada. Chegamos lá 13h. Entretanto o check-in era 14h e não havia ninguém para nos receber. Faltando 5 minutos para as 14 os donos chegaram e fizemos o check-in. Foram bem receptivos.

A pousada era simples mas aconchegante. Os quartos/chalés eram grandes e arejados. Tinha uma cama de casal e duas de solteiro, com frigobar e TV e rede do lado de fora.

Os donos, Sérgio e a Fátima foram bem prestativos, embora o restaurante estava fechado por ser baixa temporada, eles pertimiram que usássemos sua misteira no restaurante além de tê-lo aberto para que pudéssemos jogar. Aparentemente, minha primeira impressão no Prólogo estava errada :).

O café da manhã começava às 8:30 e fechava às 10:00. No primeiro dia atrasou, o que atrasou a nossa trilha.

A pousada, além de ter uma piscina boa com uma ótima vista, tem a 5 e 15 minutos de caminhada dois poços bonitos, fomos no mais distante. O Poço das Bromélias é bem bonito e foi um dos motivos que escolhemos a pousada.

A Pedra do Elefante fica muito próximo a ela, da rede do nosso quarto (acho que todos os quartos têm redes) conseguimos tirar selfies com o Elefante ao fundo.

A ouvir e sentir o vento, deitado na rede do quarto, foi uma experiência muito boa.

Avaliação Geral da Pousada

Em geral o pessoal gostou muito da pousada. Da localização, da vista, do acolhimento e da atenção dos donos e dos quartos. Entretanto, como tudo na vida, podem melhorar em relação à organização, como nos avisar com antecedência que o restaurante não está funcionando ou servir o café da manhã sem atraso. Se você busca por um lugar simples, caseiro, sem sofisticação mas muito aconchegante e acolhedor, super indicamos a Barriga da Lua. Abaixo seguem algumas fotos da pousada.

O Vale do Travessão

Dicas:

  • Se possível, vá com guia, existem apps com trilhas prontas mas os apps não substituem a experiência de um guia, essa trilha teve pontos em que um erro poderia ser mortal, além de você poder focar mais no passeio e em aproveitar as paisagens;
  • Leve água, de 1 a 2 litros, dependendo se você bebe muita ou pouca água;
  • Não leve mais do que o necessário, dependendo do ponto onde você sair essa trilha pode ter quase 20 km (ida e volta), além de ter trechos bem difíceis;
  • Vá com caçados e roupas adequadas, há um trecho com sambambaias e espinhos, se for de bermuda arranhará suas pernas e se for sem blusa com manga comprida arranhará seus braços, como arranhei os meus;
  • Leve protetor solar e repelentes.

Nós temos um casal de conhecidos que moram na Serra do Cipó e trabalham como guias. Já fizemos a trilha da Cachoeira Rabo de Cavalo e Travessia Lapinha-Tabuleiro com eles.

Escolhemos a Barriga da Lua pelas possibilidades de passeios próximos à pousada. Contactei o Rodrigo, da Trilhas do Cipó, para ser o nosso guia. Passei por uma experiência na trilha da Rabo de Cavalo que se não tivesse um guia eu teria ido pro saco, portanto, sempre vou com guia. Dos possíveis passeios que o Rodrigo nos indicou, escolhemos o Vale do Travessão.

O Vale do Travessão é um divisor natural de águas das bacias do Rio São Francisco e Rio Doce, além das belas paisagens, você encontrará a Cachoeira Espelhada, pinturas rupestres e se for até o final, encontrará um poço maravilhoso.

Essa foi minha terceira trilha na Serra do Cipó e a achei difícil. Fiz a Travessia Lapinha-Tabuleiro, onde caminhamos, em 3 dias quase 50 km, no primeiro dia foram 18 km que caminhei com uma mochila de 50 litros cheia, pois exageramos nas bagagens. Tivemos a sensação; minha sogra, minha namorada e eu (todos fizemos a travessia); que a Trilha do Vale do Travessão foi tão difícil quanto ao primeiro dia de Travessia. O sol estava escaldante, não havia nenhuma nuvem e talvez esse seja um dos motivos de ter dificultado mais.

Nessa trilha você enfrentará diversos tipos de terrenos, isso saindo da Pousada Barriga da Lua. Um pouquinho de pântano, atravessará água, mata fechada, terreno de sambambaias, muitas subidas e descidas com pedras soltas, se for ao Poço do Travessão (vale a pena e muito, entretanto, um erro pode ser mortal) terá que quase escalar.

Nessa trilha você encontrará alguns pequenos poços dágua, aproximadamente na metade do caminho passará pela Cachoeira do Espelho/Espelhada, que é simples se comparada à Tabuleiro mas é bela e gostosa.

Quando eu fui na parte alta da Tabuleiro, fiquei maravilhado com a paisagem lá de cima, no mirante e no poço tive a mesma sensação. Uma visão que não irei esquecer tão cedo e o poço, cara, que água maravilhosa.

Avaliação da Trilha

Todos adoraram a trilha, é a minha terceira na Serra do Cipó e acho que está no mesmo nível da Cachoeira do Tabuleiro, nível esse medido em beleza e deslumbre. Como sempre, o nosso guia foi muito profissional. Veja alguma fotos abaixo:

Abaixo segue o meu Strava da trilha, poderá ver as estatísticas da trilha:

Caso tu curta Relive, veja como ficou o vídeo do passeio.

Considerações finais

Esse post visa apenas contar a minha experiência com a trilha além de dá algumas dicas que podem e muito tornar sua trilha mais proveitosa.

Dica: já a caminho de BH, passamos na casa de uma senhora humilde para comprar um ótimo doce de leite e uma deliciosa geleia de jabuticaba. A dona chama-se Vânia, se não me engano mora na Rua Soberbo, não sei o número mas chegamos na rua e perguntamos sobre uma senhora que fazia doces, nos indicaram a casa dela.

Finalizei esse post comendo uma porção feita por mim e tomando a loira Tianastácia: Tianastácia

Galerias de Fotos

Veja como foi o nosso passeio.

Fotos da pousada Barriga da Lua, da trilha ao Poção das Bromélias e da trilha ao Vale do Travessão

Dia 14 - Uma chalé da pousada com a Pedra do Elefante ao fundo Dia 14 - Pracinha da pousada Dia 14 - Visão panorâmica de um dos chalés Dia 14 - Trilha a caminho do Poção das Bromélias Dia 14 - Trilha a caminho do Poção das Bromélias Dia 14 - Trilha a caminho do Poção das Bromélias Dia 14 - Trilha a caminho do Poção das Bromélias, Pedra do Elefante Dia 14 - Trilha a caminho do Poção das Bromélias, platinha do Cerrado Dia 14 - Entrada do Poção das Bromélias Dia 14 - Poção das Bromélias Dia 14 - Poção das Bromélias Dia 14 - Poção das Bromélias Dia 14 - Poção das Bromélias Dia 14 - Trilha de volta à pousada, linda flor Dia 14 - Self com a Gateenha com a Pedra do Elefante ao fundo Dia 14 - Capelinha na pousada Dia 14 - Capelinha na pousada Dia 14 - Placa informativa na pousada Dia 14 - Entrada da Pousada Dia 14 - Pôr do Sol na piscina Dia 14 - Marley Dia 15 - Trilha de mata fechada Dia 15 - Subida com pedras Dia 15 - Visão da Pedra do Elefante do alto Dia 15 - Trilha com pedras e terreno regular Dia 15 - Visão panorâmica Dia 15 - Selfie com a galera Dia 15 - :D Dia 15 - Estrada com pedras Dia 15 - Uma pequena obra de arte escondida Dia 15 - É para lá que iremos ;) Dia 15 - O Caminhante Dia 15 - Selfie com a galera Dia 15 - Nosso guia, Rodrigo Dia 15 - Pegadas de uma ave Dia 15 - Córrego Capao da Mata Dia 15 - Trilha de mata fechada com samambáias Dia 15 - A Cachoeira do Espelho ao fundo Dia 15 - A Cachoeira do Espelho ao fundo Dia 15 - A Cachoeira do Espelho Dia 15 - A Cachoeira do Espelho Dia 15 -, platinha do Cerrado Dia 15 - Na Cachoeira do Espelho Dia 15 - Na Cachoeira do Espelho Dia 15 - Na Cachoeira do Espelho Dia 15 - Subida com pedras, logo após a Cachoeira do Espelho Dia 15 - Trilha com pedras, logo após a Cachoeira do Espelho Dia 15 - Pedra a qual há pinturas rupestres Dia 15 - Pintura rupestre Dia 15 - Pintura rupestre Dia 15 - Pintura rupestre Dia 15 - Pintura rupestre Dia 15 - Trilha com pedras soltas Dia 15 - Trilha com pedras, aproveite pra viajar na paisagem Dia 15 - Uma orquídea Dia 15 - Viaja Dia 15 - Viaja Dia 15 - O Caminhante Dia 15 - Viaja Dia 15 - Uma flor pra tu :) Dia 15 - Início do Vale do Travesão Dia 15 - O Caminhante no Vale do Travessão Dia 15 - Uma selfie no Vale do Travessão Dia 15 - Vale do Travessão Dia 15 - Vale do Travessão, puta que pariu nessa paisagem! Dia 15 - Subida com pedras, indo em diração ao poço do Vale do Travessão Dia 15 - Descida íngreme e perigosa Dia 15 - Descida íngreme e perigosa Dia 15 - Descida íngreme e perigosa Dia 15 - Descida íngreme e perigosa Dia 15 - Atravessando a pedra Dia 15 - Região do poço Dia 15 - Região do poço Dia 15 - Região do poço, a pedra o qual atravessamos Dia 15 - Região do poço, linda paisagem Dia 15 - Região do poço, linda paisagem Dia 15 - Região do poço, linda paisagem Dia 15 - Poço do Vale do Travessão Dia 15 - Poço do Vale do Travessão e o Caminhante Dia 15 - Poço do Vale do Travessão e o Caminhante tendo um ápice de prazer Dia 15 - Sem comentários para essa paisagem Dia 15 - Uma selfie no poço Dia 15 - Selfie com o Vale no fundo Dia 15 - Subindo a pedra novamente Dia 15 - Beija-flor Gravatinha Dia 15 - De volta à Cachoeira do Espelho Dia 15 - Selfie na Cachoeira do Espelho Dia 15 - Cachoeira do Espelho Dia 15 - De volta à Cachoeira do Espelho Dia 15 - Quando o cansaço bateu e tive que me proteger Dia 15 - Paisagem bonita na volta Dia 15 - Arranhões, protega seus braços Dia 15 - Voe Dia 15 - Cansaço que valeu a pena Dia 15 - Volta Dia 15 - Pedra do Elefante ao pôr do Sol Dia 15 - Prêmio no final do dia Dia 16 - Selfie comemorando esse dia foda Dia 16 - 'Resistam à minha sedução' - Gatinho na pousada Dia 16 - Café da manhã na pousada Dia 16 - Refeitório do café da manhã Dia 16 - Restaurante da pousada Dia 16 - Restaurante da pousada Dia 16 - Restaurante da pousada Dia 16 - Restaurante da pousada Dia 16 - Restaurante da pousada Dia 16 - Nosso quarto Dia 16 - Nosso quarto Dia 16 - Nosso quarto Dia 16 - Nosso quarto Dia 16 - Despedindo da Pousada Dia 16 - Placa da Pousada
Fotógrafos: Carolina Márcia, Elias Soares, Sandra Mara e Sheila Cristina



Tags:

cachoeiras   pinturas rupestres   pousadas   vale do travessao   difícil